Como comprar um imóvel sem imobiliária
Como comprar um imóvel sem imobiliária Foto: Pexels

Como comprar | Dica 28 Janeiro 2020 Por Emília Felix

Como comprar um imóvel sem imobiliária

O comportamento do consumidor está caminhando para o futuro junto com a tecnologia. Clientes anseiam por processos rápidos, menos burocráticos e mais automatizados na hora de adquirir novos imóveis. É o que diz a pesquisa da consultoria Deloitte, realizada em julho de 2019 para investigar perspectivas e tendências dos compradores de imóveis das novas gerações.

A alta do setor imobiliário nos últimos anos acabou saturando o mercado com profissionais que muitas vezes não têm qualificação e apenas entraram no meio para suprir a demanda da época. Ninguém sabe melhor o que você quer do que você mesmo e é por isso que o COMDONO quer proporcionar uma compra e venda de imóveis 100% digital. Ganhe autonomia e se preocupe apenas com a forma de pagamento.

Tem COMDONO em toda parte! Acompanhe nossos conteúdos nos outros canais

 

Como escolher o imóvel ideal?

Existem algumas coisas das quais não se pode abrir mão em um imóvel. Defina uma área média, quantidade de quartos e outras características essenciais para você. Algumas pessoas possuem animais de estimação, por exemplo, e por isso acabam procurando áreas de serviço maiores ou imóveis com varanda.

Tem crescido a demanda do cliente imobiliário por empreendimentos seguros, bem localizados e sustentáveis. O Park Sul, em Brasília, é uma região em ascensão que conta com muitas comodidades e foi criada pensando na família. Os condomínios grandes e fechados proporcionam áreas comuns ecológicas com foco na economia de água e energia e áreas de lazer protegidas para seus filhos se divertirem sem preocupações.

Hoje atendemos 4 empreendimentos no Park Sul, em Brasília: Vista, Exclusive, Excellence e Elegance

 

Dicas para fazer um bom anúncio de imóvel

Esteja pronto para gerenciar o anúncio do seu imóvel quando for melhor para você. Te ajudamos em cada uma das etapas: verificamos a documentação, fazemos fotos profissionais do seu apartamento, criamos um anúncio personalizado contando a sua história com o imóvel e divulgamos para interessados de todas as regiões de Brasília.

Na negociação, cuidamos da papelada e da burocracia cartorial para que você compre seu imóvel com tranquilidade. Sem exclusividade, você compra direto com o dono e não fica refém de intermediações que cobram taxas excessivas em cima do valor do imóvel. No COMDONO você aprende tudo aquilo que os corretores e as imobiliárias deixam de te contar!

Com imobiliária você paga mais porque alguns corretores vendem mais caro para garantir maiores comissões

 

Onde procurar meu imóvel?

Procure imóveis com documentação verificada: sem atrasos no IPTU ou condomínio, com escritura e registro dentro dos conformes. Além disso, veja se o proprietário é realmente o responsável legal do imóvel e se ele não possui nenhuma dívida que possa utilizar o imóvel como penhora. Todos os anúncios registrados no COMDONO passam por uma etapa de checagem de documentação antes de sua publicação, justamente para garantir a segurança da negociação.

Quando você busca imóveis intermediados por imobiliárias ou corretores geralmente há uma cláusula de exclusividade em seus contratos. Isso pode ser prejudicial caso haja vontade de fazer uma busca no mercado por melhores condições de compra e venda. Além disso, é mais difícil encontrar anúncios específicos porque eles ficam concentrados em apenas um site (isso quando vão para a internet).

Como calcular o preço de venda de um imóvel?

Com o bairro de sua preferência em Brasília, é importante visitar a região em horários diferentes do dia para conhecer melhor os arredores. Dessa forma você observa detalhes sobre a vizinhança, movimentação, barulho e até o trânsito. Para analisar o valor do anúncio, tenha em mente que o preço venal de um imóvel é sempre calculado com base no preço do metro quadrado de onde ele está localizado, por isso, não adianta você querer comparar um imóvel do Cruzeiro com um do Lago Norte, por mais que os dois tenham a mesma área e quantidade de quartos.

Mais de um fator influencia no preço de um imóvel. Além do valor da metragem, o fato de estar em condomínio fechado, o tipo do imóvel e o andar onde o apartamento está também podem fazer muita diferença. Felizmente, há uma ferramenta de comparação que analisa preços de imóveis semelhantes ao que você está interessado para que você tenha certeza de que o preço de venda não está fora do esperado. Com a calculadora de avaliação COMDONO, você tem em menos de 2 minutos um preço sugerido para o anúncio e uma média de tempo para a venda, estimada em dados do mercado.

Checklist da visita ao imóvel

Você pode ir no mesmo imóvel 1, 2 ou até 3 vezes, mas sempre vai observar algo novo. A visita é parte indispensável no processo de compra porque é nela que você define o imóvel que vai comprar. E é por conta dessa empolgação que é preciso se preparar bem antes de ir, porque mais do que se imaginar morando naquele apartamento, é preciso identificar se há algum problema que necessite reparo antes de fechar negócio.

Essa fase de checagem também é conhecida como vistoria do imóvel, que geralmente é realizada por um engenheiro na fase inicial de um financiamento imobiliário. A ajuda de um profissional que possa avaliar o imóvel com um olhar mais técnico pode ser fundamental a depender da avaria. De qualquer forma, não tenha vergonha de levar outras pessoas com você e conferir cada um dos itens do checklist que o COMDONO preparou.

Uma vistoria minuciosa no imóvel que você vai comprar evita problemas futuras e livra você de dores de cabeça

 

Quais os documentos necessários na compra de um imóvel?

Cuidado com gastos desnecessários! Se você está interessado em um imóvel, saiba que é responsabilidade do vendedor emitir todas as certidões e documentos que comprovem a sua regularidade e regularidade do imóvel. As transações de compra e venda, a escritura e o registro devem ser oficializadas em cartório para que os envolvidos estejam protegidos juridicamente, então nada de contratos de gaveta para evitar taxas cartoriais, porque isso pode te dar dores de cabeça lá na frente!

Do imóvel, você vai precisar dos seguintes documentos:

1) Escritura;

2) IPTU do ano e parcelas pagas;

3) Certidão de matrícula;

4) Certidão de ônus reais;

5) Certidão de quitação tributária;

6) Certidão de quitação de débitos condominiais.

O vendedor do imóvel, por sua vez, deverá fornecer:

1) RG;

2) CPF;

3) Certidão de nascimento ou casamento/união estável;

4) Certidão negativa de débitos federais de pessoa física;

5) Certidão negativa de débitos trabalhistas.

Você, comprador, precisará de:

1) RG;

2) CPF;

3) Os três últimos comprovantes de renda;

4) Certidão de nascimento ou casamento/união estável;

5) Certidão de quitação de impostos federais (caso você seja comerciante);

6) Certidão negativa de ações cíveis e de ações da Justiça Federal.

Com tudo isso em mãos, já dá para preparar os termos do seu contrato de compra e venda. Atenção, para isso, será preciso definir as seguintes condições:

1) Valor total do imóvel;

2) Valor do sinal;

3) Forma de pagamento;

4) Prazo e taxa de juros (para financiamentos);

5) Multas em caso de rescisão, atraso na entrega ou entregas diferentes do acordado;

6) Comissão imobiliária.

Para a negociação, existem documentos específicos para o comprador, para o vendedor e para o imóvel

 

Como negociar e fazer uma proposta de compra imobiliária?

A comunicação com o proprietário do imóvel é primordial para uma boa negociação. Desde o primeiro contato, faça um esforço para conhecer mais sobre ele e identificar onde está sua dor, até porque existem inúmeros motivos pelos quais uma pessoa decide vender um imóvel. Dessa forma, dá para buscar soluções que beneficiem os dois e assim vocês firmam acordos vantajosos mais rápido.

Alguns itens do seu contrato de compra e venda precisam ser muito discutidos antes do acordo ser fechado. As condições de pagamento escolhidas devem atender tanto às suas necessidades como às de quem está vendendo. Depois de decidirem juntos o valor final do imóvel, firmem a data de pagamento do sinal, que vai de 10% a 20% do valor do imóvel, e a modalidade escolhida para o pagamento.

Você pode pagar seu imóvel à vista, parcelado ou financiado com a ajuda de alguma instituição bancária. Caso você possua um imóvel, ainda há a possibilidade de permuta, onde você utiliza sua propriedade como parte do pagamento. Independente da maneira escolhida, isso deve estar fixado com todas as especificidades no contrato, para que não haja problemas no futuro. Por exemplo, se o pagamento será parcelado, quantas serão as parcelas e qual será o valor de cada uma?

Uma boa comunicação com o proprietário pode te ajudar a fechar um negócio vantajoso para os dois lados

 

O que é necessário para fazer um financiamento imobiliário?

Financiar um imóvel é uma alternativa interessante para quem quer alcançar o sonho da casa própria. Depois de tirar a dúvida se vale mais a pena para você alugar ou financiar um imóvel, você pode avaliar tudo o que está envolvido na modalidade financiamento e descobrir como encontrar as melhores condições de pagamento.

Primeiro: pesquisar nunca é demais. As recentes reduções nas taxas de juros fizeram com que a portabilidade de crédito imobiliário aumentasse cerca de 175% entre janeiro e novembro de 2019, e isso está mudando o comportamento de alguns bancos. Depois de ter seu crédito aprovado, você pode conhecer as propostas de cada banco e ver qual delas te atende melhor. Preste atenção em cada um dos detalhes: entrada, valor das parcelas, prazo e taxa de juros. Algumas instituições oferecem programas especiais para compradores de primeira viagem, e ainda existe a possibilidade de usar o FGTS na compra do seu imóvel.

BB, Caixa, BRB, Santander, Bradesco e Itaú disputam para te oferecer a melhor condição de financiamento

Você sabe quais são os custos de uma casa?

Mais do que comprar um imóvel, é saber se você conseguirá mantê-lo. É muito comum pensar só no preço do imóvel e deixar de lado o quanto os gastos mensais comprometerão a sua renda. Faça uma estimativa de água, luz, IPTU e condomínio, caso haja, para identificar se será possível viver confortavelmente naquele imóvel. Se todos os seus gastos essenciais mensais (pessoais e da casa) ultrapassam 50% da sua renda bruta familiar, está na hora de rever o orçamento.

Uma casa própria que não tem custos de condomínio, por exemplo, por ser maior do que o local onde você morava antes, provavelmente terá um custo maior de IPTU. Por isso, coloque tudo em uma balança e veja se o imóvel que você escolheu também se encaixa na sua planilha financeira. Em nosso blog, falamos um pouco sobre as responsabilidades de um novo proprietário de imóvel logo que finalizou a compra e pegou as chaves.

Instagram