Consórcio ou financiamento imobiliário: qual vale mais a pena?
Consórcio ou financiamento imobiliário: qual vale mais a pena?

Dica | Como comprar 30 Janeiro 2020 Por Naiara Cavalcanti

Consórcio ou financiamento imobiliário: qual vale mais a pena?

Já se imaginou vivendo em um apartamento de três quartos no Lago Norte, com uma vista privilegiada ou então em uma casa no Guará com tudo que você precisa por perto?  Não existe uma regra quanto à casa ideal para cada pessoa ou família, mas uma coisa é certa: a casa dos sonhos é um lugar de aconchego e muito afeto.

É na sua casa dos sonhos que você vai constituir as memórias mais afetivas com seus familiares e amigos. Por isso, cada perfil vai necessitar de uma casa diferente. Já a decisão de ir em busca da tão sonhada casa própria é a mesma. É preciso buscar e comparar imóveis, se preparar para a negociação, compreender o seu momento financeiro e fechar contrato. 

E uma das maiores dúvidas na hora de comprar um imóvel é a forma de pagamento. O que é melhor: financiar um imóvel ou realizar um consórcio? Qual é o mais barato e simples de fazer? Como saber se está fazendo o negócio certo? Continue a leitura deste artigo e descubra essas e outras respostas.

O que é consórcio imobiliário

O consórcio imobiliário é uma modalidade em que um grupo de pessoas se une para arcar com um mesmo objetivo, nesse caso, o de comprar um imóvel. Essa forma de pagamento funciona como um autofinanciamento e atende os consumidores que não têm como se comprometer com um pagamento à vista ou com as parcelas do financiamento imobiliário.

Como funciona o consórcio de imóveis

Na prática, os interessados em participar de um consórcio imobiliário procuram uma empresa administradora de consórcios, que cuidará de toda a gestão.

De antemão, estabelece-se o valor do crédito, que determina a quantia mensal com a qual cada consorciado deve contribuir. Os pagamentos são feitos mensalmente e um sorteio é realizado durante a assembleia mensal, de responsabilidade da empresa administradora, para determinar quem será o contemplado a receber a carta de crédito e adquirir o seu imóvel.

A ideia é que até o final do consórcio, todos os participantes sejam contemplados, sendo que uma vez que um consorciado recebe a carta de crédito, ele não participará mais do sorteio. Ou seja, a cada mês, as chances de ser sorteado também aumentam, visto que o número de participantes do sorteio em si diminui. 

Ainda existem algumas possibilidades para conquistar a carta de crédito, como as ofertas de lances. Elas funcionam como um adiantamento do valor total a ser pago individualmente ao final do consórcio. Existem diferentes formas de lances e o ideal é entender qual é a melhor opção no seu caso.

As taxas do consórcio

Um dos maiores atrativos na hora de realizar um consórcio é que não há cobrança de juros, visto que a intenção é o pagamento da carta de crédito, que é financiada pelos próprios consorciados.

Apesar disso, existem algumas outras taxas a serem pagas para arcar com os custos administrativos. Cada empresa poderá ter suas próprias taxas, sendo as principais:

  • A taxa de administração paga à administradora pelos serviços prestados; e

  • O fundo comum, que todo consorciado paga para formar o fundo responsável pela aquisição do imóvel.

A depender da administradora, ainda pode haver a cobrança do fundo de reserva, destinado à cobrança de eventuais insuficiências do fundo comum; do seguro que visa quitar a dívida em caso de morte ou invalidez; e da taxa de adesão ou uma antecipação da taxa de administração.

 

O que é financiamento imobiliário

Por outro lado, existe uma modalidade mais conhecida e praticada na hora de adquirir um imóvel. É o financiamento imobiliário, em que o interessado procura uma instituição bancária para o ajudar a arcar com os custos da compra de uma casa.

Como funciona o financiamento de imóveis

Para financiar um imóvel, é preciso se atentar a alguns fatores, como o valor de entrada, o valor das parcelas e o número de parcelas a serem pagas para quitar a dívida e a taxa de juros, que mudará de banco para banco.

Primeiro, será preciso entender com quanto você poderá arcar para a entrada do financiamento. Em média, as instituições bancárias exigem uma entrada de 20% do valor total do imóvel para dar início ao processo. Porém, desde janeiro de 2020, o Santander passou a financiar imóveis com entrada de 10%. A novidade, no entanto, é aplicável somente a financiamentos na modalidade SAC (Sistema de Amortização Constante), em que as parcelas são atualizáveis.

Não deixe de conferir nosso artigo "Como fazer um financiamento imobiliário" clicando na imagem.

 

Não há uma regra para saber qual banco tem as melhores taxas ou oferece as melhores condições de financiamento, pois cada perfil de cliente terá necessidades e requisitos diferentes. Mas existem algumas práticas para garantir um melhor negócio e a sua casa própria quitada em menos tempo.

Uma delas é conseguir fazer um planejamento financeiro que te dê a liberdade de dar um valor maior de entrada. Por exemplo, se for possível dar 50% de entrada no financiamento, as parcelas ficarão mais tranquilas e curtas e você poderá quitar logo a sua dívida. 

Após começar a financiar o seu imóvel, existe também a possibilidade de realizar uma portabilidade de financiamento imobiliário, modalidade que te garante melhores condições. Isso ocorre porque com as constantes mudanças no mercado e na economia, como o reaquecimento do setor imobiliário e as reduções na taxa Selic durante o ano de 2019, é possível exigir que a taxa de juros siga esse cenário de mudanças.

Esteja atento às mudanças no mercado e garanta as melhores condições.

 

As taxas do financiamento

De maneira geral, os custos envolvidos em um financiamento imobiliário são:

  • A amortização, que é a redução do total da sua dívida conforme pagamento das parcelas;

  • Os juros, que são variáveis de banco para banco;

  • Os seguros, destinados a cobrir quaisquer danos que possam alterar o valor do bem e a garantir o resgate do valor emprestado em caso de morte ou invalidez; e

  • Os custos de administração.

Cada um destes itens fazem diferença no valor final das parcelas a serem pagas, sendo esta a grande diferença de uma instituição financeira a outra. Por isso, é importante entender os valores praticados por cada uma na hora de decidir o melhor financiamento para você.

Uma forma de fazer isso é realizar uma simulação de financiamento imobiliário no COMDONO, que preparou uma ferramenta em que você insere os seus dados e os bancos parceiros disputam a chance de te oferecer as melhores condições na compra do seu imóvel. Teste já!

No COMDONO, são os bancos que disputam entre si para te oferecer as melhores condições de financiamento.

 

Consórcio x Financiamento

No final das contas, não há como afirmar se é melhor comprar a casa dos seus sonhos por consórcio ou por financiamento, pois só você sabe o que é melhor para você. Com esse mesmo pensamento, surgiu o COMDONO, acreditando que o melhor corretor de imóveis é você mesmo.

Faça as melhores escolhas para você mesmo comprando e vendendo no COMDONO.

 

Com uma ajudinha e muito conteúdo para você conhecer melhor os processos do mercado imobiliário, é possível comprar a sua casa própria em Brasília. Confira as principais diferenças entre o consórcio de imóveis e o financiamento imobiliário e comece a buscar uma casa para chamar de sua.

Descubra as principais diferenças entre o consórcio e o financiamento imobiliário e conte para nós: qual o melhor para você?

 

Instagram