Por que investir em imóveis em 2020?

Dica 27 Dezembro 2019 Por Emília Felix

Por que investir em imóveis em 2020?

O próximo ano vem com tudo para promover a compra do seu próximo imóvel. Alguns fatores, tanto econômicos, como sociais e até culturais, transformam significativamente a experiência de compra e venda no mercado imobiliário. Analisando cada um deles, você compreende o cenário e pode se preparar melhor para aproveitar o boom que ele terá em 2020. No COMDONO você fica por dentro de todos os detalhes.

 

A menor Selic da história

A taxa Selic já é a menor da história! Com a redução de 5% para 4,5%, anunciada na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, a taxa básica de juros indica um bom momento para quem quer comprar. Se você tem planos de adquirir seu primeiro apartamento em Brasília num médio ou longo prazo, surfe na onda da Selic e aproveite anúncios de casas e apartamentos com valores reduzidos.

A Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) é a taxa de juros básica da economia brasileira. Na prática, isso significa que ela influencia toda as taxas de juros do país, nisso entram empréstimos, financiamentos e até investimentos. Ela é tão importante porque foi uma ferramenta criada pelo Banco Central em 1979 para ajudar a controlar a inflação. Dessa forma, uma taxa mais alta procura frear a economia para impedir o aumento da inflação e uma taxa mais baixa tem como objetivo acelerar a economia e aumentar a inflação, quando ela não está nos limites esperados.

A queda da Selic nos últimos meses foi uma estratégia do Banco Central para promover um aquecimento da economia brasileira e estimular os investimentos, sobretudo no setor imobiliário. Com um número crescente de lançamentos imobiliários em todo o país e o desejo constante do brasileiro de garantir uma casa própria e consequentemente segurança para a família, esse cenário é favorável para quem pensa em investir nesse segmento.

Aproveitar o mercado em baixa é o que muitos investidores fazem. Já imaginou comprar uma casa ou apartamento em Brasília com um preço super acessível para poder vendê-lo bem mais caro nos próximos anos? É só ficar ligado nas projeções econômicas para 2020. 2019 já sinalizou um crescimento que tenta superar a crise econômica dos últimos quatro anos e esse crescimento se estende também para os imóveis

 

Cresce a busca por imóveis

Já existem dados que comprovam a guinada que o mercado imobiliário terá. A alta demanda por moradia que surgirá nos próximos cinco anos fará com que os imóveis, hoje comprados a preços excelentes, ganhem valor e possam ser vendidos ou alugados com negociações muito mais lucrativas. Além disso, está cada vez maior a quantidade de pessoas que investe em imóveis de médio e alto padrão, os apartamentos de luxo! A busca por apartamentos de 100 m² a 200 m², que podem chegar a até R$ 2 milhões, se revelou uma tendência imobiliária que tem tudo para continuar crescendo em 2020. Os dados são do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi/SP).

As famílias estão cada vez menores e essa é mais uma característica que impacta na compra e venda de imóveis. Cada vez tendo menos filhos, os integrantes da família têm mais estabilidade para arcar com os custos de um apartamento sozinhos. Com mais gente saindo de casa, o núcleo familiar acaba reduzindo de tamanho e com isso vem o desejo de adquirir uma casa menor, suficiente para as necessidades de quem vai morar.

 

Atenção na hora de comprar

Não é porque os preços estão bons que você vai sair comprando sem dar uma boa pesquisada! É preciso ficar atento às condições do imóvel e também à região onde ele está localizado. Tenha sempre em mente que um apartamento não é só seu interior, mas também o que existe em volta. Sobretudo se você pensa em alugá-lo ou vendê-lo futuramente. Ninguém quer morar em um lugar mal localizado, certo?

Depois de decidir a melhor região para comprar seu imóvel em Brasília, é preciso analisar preços de anúncios e ver se eles estão dentro do valor de mercado. Sobretudo com imobiliárias e corretores de imóveis, esses valores costumam estar bem acima do recomendado, justamente porque neles já estão embutidas as taxas de corretagem que esses profissionais cobram, que podem chegar a até 6% do valor do seu imóvel.
Como saber se o valor está de acordo? Uma das maneiras é a avaliação do imóvel, que analisa características como a área, o número de quartos e banheiros e o valor do metro quadrado da região onde ele está. Além disso considera questões como o material utilizado no acabamento do imóvel e o quanto foi investido com reformas e reparos. Avalie já, totalmente grátis, o valor do apartamento que você quer comprar no COMDONO e não seja pego de surpresa.

Instagram